O comércio brasileiro cresce as produções e vendas dos mais variados tipos de produtos, voltados exclusivamente para a Copa do Mundo. Muitas promoções estão atraindo o público ao consumo acelerado. Os campeões de lucro são as lojas de artigos relacionados e com as cores da seleção, bares e restaurantes.

"No período dos jogos, a minha camiseta da seleção não sai do meu corpo", relata Franz Felipe, 19 anos e estudante universitário. Essa paixão pelo futebol é o principal motivo que impulsiona os torcedores ao consumo - camisetas, promoções, faixas e bandeiras - fazendo com que o mercado volte suas vendas desde já para a Copa.

Os "barzinhos" são os mais procurados pelos torcedores, que geralmente levam os amigos. "Já estamos preparados para a Copa do Mundo, contratei dois novos ajudantes que estão em treinamento" diz Fernando - dono de dois bares de muito movimento na Zona Oeste de São Paulo, "acredito que teremos o dobro de clientes na semana dos jogos, principalmente jovens universitários".

O setor de brinquedos também está de olho no principal evento esportivo desse ano, que prevê um crescimento nas vendas de 5,6%. O mercado se prepara para que em Junho esteja com as principais novidades lançadas, que variam entre miniaturas dos jogadores até jogos eletrônicos da Copa. Um dos brinquedos que mais causa ansiedade entre as crianças no momento são os bonecos flexíveis do Ronaldinho Gaúcho que ainda estão em fase de produção pela empresa Revel.

Os produtos inspirados na Copa do Mundo também invadiram a rua 25 de março que, de acordo com a Univinco (União dos lojistas da 25 de março e adjacências), recebeu aproximadamente 400 mil pessoas nesses últimos dois feriados. A previsão é que as vendas cresçam cerca de 15%. Bonés, camisetas, chaveiros, medalhinhas, cornetas, entre outros são artigos de peso nos camelôs e vitrines das lojas.