Esse também é um tipo de entrevistador que pode ter os mais variados enfoques. Não só pelo fato de que nem sempre seu futuro superior seja um "entrevistador profissional", mas também porque a posição dele permite que numa mesma entrevista ele percorra o caminho que vai do conhecimento inicial à avaliação final.

Se o entrevistador se identificar com o seu futuro superior, a relação ficará mais fácil e o seu caminho mais definido. Contudo, pode ser que estrategicamente ele não se identifique como tal.

Isso indica um profissional mais experimentado em entrevistas, que utilize tal estratégia com algum objetivo determinado - avaliar sua postura no relacionamento com chefia, por exemplo.

Também nesse caso, o que se espera de você é uma qualidade técnica e comportamental compatível com o cargo, e que se expresse numa forma de relacionamento durante a entrevista que seja ao mesmo tempo solidamente embasada em conhecimentos e experiências, e também em resultados e propostas. Lembre-se que um futuro chefe sempre terá um "perfil ideal" para o cargo e tentará identificar todas as características desse perfil em cada um dos candidatos. Não assuma portanto, numa situação como esta, uma postura subserviente.

Seja um profissional ativo, participativo, que não tem medo de expressar opiniões, que sabe ouvir e avaliar posições diversas da sua e coordená-las. Também não é bom assumir uma postura auto-suficiente, de quem prescinde de comando ou orientação.

Evidencie sua capacidade de trabalhar em grupo, relacionar-se com a chefia e equacionar as necessidades de ambas as partes.